quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

O único exército que abandona os soldados feridos - A Igreja


Boa tarde galera!


Depois das festas, viagens, e a longa reforma da nova casa da MISSÃO, estou de volta!

Vamos ao que interessa, o primeiro post do ano.


Adoro filmes da segunda guerra mundial, em especial BAND OF BROTHERS, quem não assistiu essa mini série, assista é sensacional!


Ela conta a história real da companha Easy de paraquedistas que esteve na guerra.

O que mais me chama a atenção, nessas histórias são os vinculos, a irmandade criada pelos soldados, algo dito por um dos soldados que estiveram presentes me marcou muito, ele disse:

"Aquele que hoje sangra comigo será sempre meu irmão."



E na Bíblia o apóstolo Paulo compara a vida do Cristão a vida de um soldado:






Sofre, pois, comigo, as aflições, como bom soldado de Jesus Cristo.
2 Timóteo 2:3







E estamos em guerra conforme o apóstolo Paulo diz em Efésios 6 ; 12


Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais

Diante desse contexto, podemos concluir que somos então o exército de Cristo, batalhando na mesma guerra, certo?

Que todas as igrejas, fazem parte do mesmo exército, lutando contra o mesmo inimigo certo?

Infelizmente essa deveria ser a verdade mas não é.




Se somos um exército, estamos todos espalhados e o que mais me assusta, é que somos o único exército que deixa seus feridos para trás!


Li em um estudo que hoje no Brasil temos aproximadamente 40 milhões de evangélicos, sendo que segundo estudos não oficiais, mas calcula se que existam cerca de 30 a 40 milhões de pessoas que se afastaram do evangelho pelo mais diversos motivos!

Ou seja um exército inteiro foi deixado para trás!


Milhões de pessoas que poderiam estar salvando vidas, fazendo a diferença, pregando o evangelho mas estão abandonadas no "mundão", entregues ao inimigo.


E isso é culpa das igrejas sim!


Culpa de todos nós que aceitamos tal situação, igrejas, líderes, que não olham para as pessoas, mas na verdade fazem parte de um sistema, onde quem não se enquadra, não se molda é simplesmente deixado para trás!


Eu, você, todos nós temos que mudar isso, temos que ser a diferença, largar o sistema, e voltar ao primeiro amor de Jesus.


Não pensar em igrejas lotadas, em mega construções e sim na verdadeira transformação das pessoas! Não tratar as pessoas como um número e sim com uma vida preciosa, uma jóia única, assim como Jesus fez.


Se você faz parte de um sistema, rompa isso na sua vida, você pode ir muito mais além.
Ninguém pode limitar seus sonhos, as promessas de DEUS na sua vida!

Liberte se da religiosidade, das metodologias, das regras criadas por homens, e viva o sobrenatural de DEUS.


A Igreja tem que ser uma família, tem que ter laços que não se rompem assim tão facilmente, tem que ser um exército onde um soldado dá a vida pelo outro, mesmo que um dia DEUS tenha planos diferentes, e caminhos diferentes, aquele com quem chorei, orei, jejuei e clamei será sempre meu irmão pois fazemos parte do mesmo exército, pois:


"Aquele que hoje sangra comigo será sempre meu irmão".



Se você vê sua igreja abandonando os soldados feridos, seja pelo pecado, seja por um erro que eles cometeram ou por simplesmente não terem a mesma visão ou seguirem a "metodologia" da igreja, abra os olhos o próximo a ser abandonado pode ser você...

8 comentários:

  1. Olá, gostei da postagem, mas devemos levar em conta também que nem toda semente cai em terra boa, sendo que as riquezas e prazeres do mundo têm sufocado muitas. A culpa da igreja está no individualismo, cada um por si...e o soldado que se vire.

    ResponderExcluir
  2. Concordo com vc pastor, estou passando por isso na igreja q estou, sinto q ate a pastora da minha igreja me abandonou

    ResponderExcluir
  3. Também gostei da postagem.
    Vivo isso na pele. Mas tenho aprendido muito.

    ResponderExcluir
  4. Também gostei da postagem.
    Vivo isso na pele. Mas tenho aprendido muito.

    ResponderExcluir
  5. Também gostei da postagem.
    Vivo isso na pele. Mas tenho aprendido muito.

    ResponderExcluir
  6. ISSO É UMA REALIDADE SIM, SER PASTOR É ARREBANHAR, CUIDAR, ZELAR,TOMAR CONTA,ASSISTIR E IR EM BUSCA DA DESGARRADAS, TRAZER DE VOLTA TIRAR OS CARRAPICHOS,TRATAR AS FERIDAS,VISITAR, ORAR JUNTO, E MUITO MAIS MAS COMO ALGUNS ESTÃO COM AS AGENDAS LOTADAS E NÃO TEM MAIS O TEMPO QUE TINHA ANTES O INIMIGO VEM E FAZ A FESTA E SÓ TEM UM QUE PODE DIZER QUE A AGENDA LOTADA DELES ESTÁ CORRETA É O TEMPO QUE VAI LHES MOSTRAR QUE NEGRIGÊNCIAR AS OVELHAS FOI UM ERRO GRAVE INCLUSIVE PARA OS SEUS MINISTÉRIO.

    ResponderExcluir
  7. Eu concordo em partes com o texto...Eu já vi pessoas sendo negligenciadas dentro da igreja, porém já vi pessoas saírem dá igreja pelos motivos mais estapafúrdios possíveis e com um ódio no coração pelos irmãos e o pastor. Não aceitam visitas e quando encontram os irmãos fingem não vê-los. Impossibilitando toda tentativa de comunicação.
    Mas mesmo diante da diversidade de situações, creio que o seu alerta é válido sim.

    ResponderExcluir